BLOG

Twitter
Facebook

Jota Canalha

17/07/2008 | Comentários (0) | Música | Por: Altamir Tojal

DESAGRAVO DO POLITICAMENTE INCORRETO

A atmosfera do show é o papo esculhambado de botequim, o alegre espaço de liberdade das nossas esquinas, onde a gozação e a gargalhada são liberadas e é possível garimpar sabedoria na forma mais simples e desempoada.

Vem aí o disco do Jota Canalha e certamente mais alguns shows deste, pode-se dizer, heterônimo de Henrique Cazes. Assisti na segunda, dia 14 de julho, na Casa Laura Alvim. É imperdível. Bom samba, bom humor e uma desassombrada manifestação do politicamente incorreto. Digo desassombrada porque Jota Canalha, ao resgatar e renovar a tradição de crônica e crítica do samba carioca (o que vale também para a marchinha), adota uma atitude estética corajosa nesta era de caretice, picaretagem e patrulhamento politicamente correto.

Além do cavaquinho, da interpretação e do humor inteligente de Henrique Cazes, o show tem a participação dos craques Beto Cazes, na percussão, e Luis Felipe Lima, no violão de sete cordas. Jota Canalha é um "demolidor", como escreveu Cesar Tartaglia em seu blog. Canalha reduz a pó - na novíssima 'Papo de ONG' - a esperteza dos bem patrocinados gigolôs da miséria e dos traficantes das boas causas. A apresentação da clássica e divertidíssima 'Mulher Indigesta', de Noel Rosa, choca e aterroriza o feminismo fundamentalista que se tornou canônico hoje em dia. Aliás, a elegante e abrasiva irreverência de Noel é evocada em todo o show nas composições de Jota, como 'Baranga das Dez', 'Chatos em desfile', 'Malas madrinhas' e 'Lero-lero blá-blá-blá'.

A atmosfera do show é o papo esculhambado de botequim, o alegre espaço de liberdade das nossas esquinas, onde a gozação e a gargalhada são liberadas e é possível garimpar sabedoria na forma mais simples e desempoada. Cazes é um artista na acepção elevada do conceito. Instrumentista, arranjador, compositor e ativista da música de qualidade. É um grande nome do choro e do samba que não teme a diversidade e a renovação, com sofisticada incursão no tango de Piazzolla (Piazzollando com acento brasileiro) e iniciativas como Bach in Brazil e Beatles'n Choro.



Comentários

Nenhum comentário para esse post.
Deixe seu comentário agora.

Campos marcados com * são de preenchimento obrigatório

Digite os caracteres da imagem no campo abaixo

ESTE MUNDO POSSÍVEL © | Todos os direitos reservados.
Todos os textos por Altamir Tojal, exceto quando indicado.
Antes de usar algum texto, consulte o autor.